40 de Abril Sempre
Arte

40 de Abril Sempre

Venha dizer adeus à liberdade

Tomada do edifício. Efeito surpresa, vantagem inicial. Há vários tipos de estado a que chegamos. Arte, sem panfleto, também política, não existe sem outro.

Abril 25, 40 de revolução. O povo é quem mais ordena em belo horizonte. Penafiel junta, movimento de comemorações em acção concertada. Convívio e cultura, música, teatro, instalações, rua.

No resto do país, Dinis de Almeida sairá da Figueira, deverá trazer cerca de mil homens e uma bateria de bocas de fogo, mas só chega à tarde. De Estremoz virá esquadrão, é possível que chegue a tempo. No norte mais apoio, companhias para reforçar. E ainda há mais uns pós.

Data é de charneira. A revolta comemora, quatro décadas, encha-se de cravos. Dados lançados, situação irreversível. Decidimos participar com Astrolábia a Tour, ao vivo como antigamente. E poder cantar canções em cantos livres, naqueles palcos, todos à molhada.

Falcão maior, aqui falcão dois, ocupe a sua posição. Falcão dois, entendido. Falcão maior, terminado.